Cerâmica de tradição islâmica em contexto português. Séculos XII-XIV

  • Marco Liberato CIGA: Grupo de Investigação sobre a Cerâmica Islâmica do Garb Al-Andalus; Universidade de Coimbra, Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património 3000- 395 Coimbra, Portugal, marcoliberato@hotmail.com
  • Isabel Inácio CIGA: Grupo de Investigação sobre a Cerâmica Islâmica do Garb Al-Andalus; Universidade de Coimbra, Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património 3000- 395 Coimbra, Portugal, isabelminacio@gmail.com
  • Gonçalo Lopes CIGA: Grupo de Investigação sobre a Cerâmica Islâmica do Garb Al-Andalus; Universidade de Coimbra, Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património 3000- 395 Coimbra, Portugal, g.simoeslopes@gmail.com
  • Constança dos Santos CIGA: Grupo de Investigação sobre a Cerâmica Islâmica do Garb Al-Andalus; Universidade de Coimbra, Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património 3000- 395 Coimbra, Portugal, constancavs@gmail.com
  • Jacinta Bugalhão CIGA: Grupo de Investigação sobre a Cerâmica Islâmica do Garb Al-Andalus; Universidade de Coimbra, Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património 3000- 395 Coimbra, Portugal, Direção-Geral do Património Cultural Lisboa Portugal Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras Centro de Arqueologia Alameda da Universidade 1600-214 Lisboa, Portugal, jacintabugalhao@gmail.com
  • Helena Catarino CIGA: Grupo de Investigação sobre a Cerâmica Islâmica do Garb Al-Andalus; Universidade de Coimbra, Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património 3000- 395 Coimbra, Portugal, Universidade de Coimbra, Faculdade de Letras, Departamento de História, Estudos Europeus, Arqueologia e Artes Largo da Porta Férrea 3004-530 Coimbra, Portugal, hcatarino@fl.uc.pt
  • Sandra Cavaco CIGA: Grupo de Investigação sobre a Cerâmica Islâmica do Garb Al-Andalus; Universidade de Coimbra, Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património 3000- 395 Coimbra, Portugal, scavaco@cm-tavira.pt
  • Jaquelina Covaneiro CIGA: Grupo de Investigação sobre a Cerâmica Islâmica do Garb Al-Andalus; Universidade de Coimbra, Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património 3000-395 Coimbra, Portugal, jcovaneiro@cm-tavira.pt
  • Isabel Cristina Fernandes CIGA: Grupo de Investigação sobre a Cerâmica Islâmica do Garb Al-Andalus; Universidade de Coimbra, Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património 3000- 395 Coimbra, Portugal, Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Instituto de Estudos Medievais 1099-032 Lisboa, Portugal Gabinete de Estudos sobre a Ordem de Santiago – Município de Palmela Largo do Município 2954-001 Palmela, Portugal, isacrisff.ed@gmail.com
  • Ana Sofia Gomes CIGA: Grupo de Investigação sobre a Cerâmica Islâmica do Garb Al-Andalus; Universidade de Coimbra, Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património 3000-395 Coimbra, Portugal, agomes@dgpc.pt
  • Susana Gómez CIGA: Grupo de Investigação sobre a Cerâmica Islâmica do Garb Al-Andalus; Universidade de Coimbra, Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património 3000- 395 Coimbra, Portugal, Universidade de Évora Rua do Cardeal Rei 7000-849 Évora, Portugal, Campo Arqueológico de Mértola Rua, Dr. António José de Almeida nº 1-3 7750-353 Mértola, sgm@sapo.pt
  • Maria José Gonçalves CIGA: Grupo de Investigação sobre a Cerâmica Islâmica do Garb Al-Andalus; Universidade de Coimbra, Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património 3000- 395 Coimbra, Portugal, Município de Silves Largo do Município 8300-117 Silves, maria.goncalves@cm-silves.pt
Palavras-chave: Evidência arqueológica, conquista cristã, cerâmica, tradição islâmica

Resumo

Pretende-se[1] avançar com uma primeira análise às lógicas de continuidade entre o período islâmico e os momentos posteriores à conquista cristã, patentes na cerâmica produzida em várias cidades e áreas geográficas do território nacional. Muito embora se assuma o carácter preliminar desta abordagem, tenta-se também uma interpretação das diferenças regionais assinaladas, a partir de factores como o âmbito temporal da presença islâmica e as relações centro-periferia. Verifica-se que a leitura defensora da disrupção, oferecida por alguma história política, não encontra apoio no registo arqueológico, em especial nas latitudes mais meridionais. Aí anuncia-se não só um cenário de evidente manutenção das tradições de período islâmico, mas também a integração contínua de inovações e tendências provenientes da região peninsular onde o poder muçulmano continuava a dominar, nas cadeias operatórias locais. Esta realidade demonstra como séculos de integração cultural centrada no Mediterrâneo, e especialmente evidente nas materialidades, resistiram ao surgimento de novas fronteiras e à chegada de novos actores sociais.

 

[1] O texto não tomou como referente a normativa do Acordo Ortográfico de 1990.

 

Referências bibliográficas

ALMEIDA, Sara; TEMUDO, Susana – “Cerâmica do século XIII, no contexto do bairro judaico de Coimbra (Portugal)”. in GONÇALVES, Maria José; GÓMEZ MARTÍNEZ, Susana (coords.) – Actas do X Congresso de Cerâmica Medieval no Mediterrâneo. Silves: Câmara Municipal de Silves/Campo Arqueológico de Mértola, 2016, pp. 291- 297.

BÁEZ GARZÓN, Beatriz; LARRAZÁBAL GALARZA, Javier – “Ribeira do Barranco 3: evidencias de una ocupación emiral en las proximidades de Beja”. in FRANCO MORENO, Bruno (ed.)  – IV Jornadas de Arqueología e Historia Medieval. Frontera Inferior de al-Andalus: la Lusitania tras la presencia islámica (713-756 d.C./94-138 H). Vol. 2. Mérida: Consorcio Ciudad Monumental Histórico - Artística y Arqueológica, 2015, pp. 123-146.

BARROS, Maria Filomena Lopes de – “Os mouros de Santarém. A comuna e os espaços”. in Santarém e o Magreb: encontro secular (970-1578): catálogo da exposição/Museu Municipal de Santarém. Santarém: Câmara Municipal de Santarém, 2004, pp. 61-67.

BARROS, Maria Filomena Lopes de – Tempos e espaços de mouros: a minoria muçulmana no reino português (séculos XII a XV). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2007.

BARROS, Maria Filomena Lopes de – “Oleiros muçulmanos depois da conquista de Lisboa”. in Terra, Pedras e Cacos do Garb al-Andalus (Jornadas Internacionais, Palmela, Janeiro de 2020), no prelo.

BEIRANTE, Maria Ângela Rocha - Santarém Medieval. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa, 1980.

BEIRANTE, Maria Ângela – “Onomástica galega em duas cidades do sul de Portugal: Santarém e Évora”. Revista da FCSH 6 (1992-1993), pp. 103-110.

BELTRAME, Massimo, et al.  – “Islamic and post Islamic ceramics from the town of Santarém (Portugal): The continuity of ceramic technology in a transforming society”. Journal of Archaeological Science: Reports 23 (2019), pp. 910-928.

BUGALHÃO, Jacinta; GOMES, Ana Sofia; SOUSA, Maria João – “Vestígios de produção oleira islâmica no Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros, Lisboa”. Arqueologia Medieval 8 (2003), pp. 129-191.

BUGALHÃO, Jacinta; SOUSA, Maria João; GOMES, Ana Sofia – “Vestígios de produção oleira no Mandarim Chinês, Lisboa”. Revista Portuguesa de Arqueologia 7:1 (2004), pp. 575-643.

BUGALHÃO, Jacinta, et al. – “Produção e consumo de cerâmica islâmica em Lisboa: conclusões de um projecto de investigação”. Arqueologia Medieval 10 (2008), pp. 113-134.

CASIMIRO, Tânia Manuel, et al. – “Ceramics and cultural change in medieval (14th-15th century) Portugal The case of post-Reconquista Santarém”. Medieval Ceramics 37 (2018), pp. 21-35.

CATARINO, Helena – “Cerâmicas da Baixa Idade Média e de inícios do período moderno registadas no castelo da vila de Alcoutim”. in Cerâmica medieval e pós-medieval. Métodos e resultados para o seu estudo. Actas das III Jornadas de Tondela. Porto: Câmara Municipal de Tondela/Edições Afrontamento, 2004, pp. 161-177.

CATARINO, Helena; FILIPE, Sónia; SANTOS, Constança dos – “Coimbra islâmica: uma aproximação aos materiais cerâmicos”. in GONÇALVES, Maria José (coord.) – Actas do 6º Encontro de Arqueologia do Algarve: O Gharb no al-Andalus: síntese e perspectivas de estudo. Homenagem a José Luís de Matos. Silves: Câmara Municipal de Silves, 2009, pp. 333-376.

CONDE, Manuel Sílvio Alves – “Madînat Shantarîn. Uma aproximação à paisagem da Santarém Medieval (séculos X-XII)”. in Actas do Colóquio Santarém na Idade Média. Santarém: Câmara Municipal de Santarém, 2007, pp. 347-382.

CORREIA, Fernando Branco – “Um conjunto cerâmico árabe-medieval de Beja”. in A cerâmica medieval no Mediterrâneo Ocidental, Actas do IV Congresso Internacional, Lisboa. Mértola: Campo Arqueológico de Mértola, 1991, pp. 373 - 385.

DIAS, Maria Isabel, et al. – “A produção de cerâmicas no arrabalde ocidental da Lisboa islâmica. Primeiros resultados arqueométricos”. in BICHO, Nuno Ferreira (ed.) – Actas do 4.º Congresso de Arqueologia Peninsular. Vol. XI – A ocupação islâmica da Península Ibérica. Faro: Universidade do Algarve, 2008, pp. 157-167.

EGEAC.EM - Castelo de São Jorge. Núcleo Museológico. Lisboa: Câmara Municipal de Lisboa/EGEAC.EM., 2009.

FERNANDES, Isabel Cristina F. – O castelo de Palmela. Do islâmico ao cristão. Lisboa: Edições Colibri, 2004.

FERNANDES, Isabel Cristina F. – “Palmela no período da reconquista”. in BARROCA, Mário Jorge; FERNANDES, Isabel Cristina (coords.) – Muçulmanos e Cristãos entre o Tejo e o Douro (sécs. VIII a XIII). Palmela: GEsOS – Câmara Municipal de Palmela / Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2005, pp. 311-325.

FERNANDES, Isabel Cristina F. – “Do ribāt à comenda: marcas ideológicas e doutrinais na organização territorial e dos espaços fortificados”. in AYALA MARTINEZ, Carlos de; FERNANDES, Isabel Cristina F. (coords.) – Cristãos contra Muçulmanos na Idade Média Peninsular: bases ideológicas e doutrinais de um confronto (Sécs. X-XIV). Lisboa: Edições Colibri / Universidad Autónoma de Madrid, 2015, pp. 75-92.

FERNANDES, Isabel Cristina, et al.  – “O comércio da Corda Seca (Total e Parcial) no Gharb al-Andalus”. in GONÇALVES, Maria José; GÓMEZ MARTÍNEZ, Susana (coords.) – Actas do X Congresso de Cerâmica Medieval no Mediterrâneo. Silves: Câmara Municipal de Silves/Campo Arqueológico de Mértola, 2016, pp. 649-666.

FERREIRA, Fernando – “Os silos medievais de São Vicente de Fora”. Arqueologia e História 53 (2001), pp. 49-66.

FILIPE, Vanessa; AMARO, Clementino – “Castle of Torres Vedras. Archaeological perspectives on a medieval context”. in GONÇALVES, Maria José; GÓMEZ MARTÍNEZ, Susana (coords.) – Actas do X Congresso de Cerâmica Medieval no Mediterrâneo. Silves: Câmara Municipal de Silves/Campo Arqueológico de Mértola, 2016, pp. 275-278.

GASPAR, Alexandra; AMARO, Clementino – “Cerâmicas dos séculos XIII-XV da cidade de Lisboa”. in La céramique médiévale en Mediterranée. Actes du Veme Congrès l’AIECM2. Aix-en-Provence: Narration Éditions, 1997, pp. 337-345.

GOMES, Ana – “Cerâmica pintada a branco de Lisboa”. in Actes du VIIe Congrès Internacional sur la Céramique Médiévale en Méditerranée. Tessalónica. 1999. Atenas: Ministère de la Culture/Caísse des Recettes Archéologiques, 2003, pp. 659-668.

GOMES, Ana, et al.  – “Cerâmicas medievais de Lisboa – continuidades e rupturas”. in BARROCA, Mário Jorge; FERNANDES, Isabel Cristina (coords.) – Muçulmanos e Cristãos entre o Tejo e o Douro (sécs. VIII a XIII). Muçulmanos e cristãos entre o Tejo e o Douro (séculos VIII a XIII). Palmela: Câmara Municipal de Palmela/Universidade do Porto, 2005, pp. 221-236.

GOMES, Rosa Varela – Silves (Xelb), uma cidade do Gharb al-Andalus: a Alcáçova. Lisboa: Instituto Português de Arqueologia, 2003.

GÓMEZ MARTÍNEZ, Susana – Cerámica islámica de Mértola. Museu de Mértola. Mértola: Campo Arqueológico de Mértola, 2014.

GÓMEZ MARTÍNEZ, Susana, et al.  – “A cidade e o seu território no Gharb al-Andalus através da cerâmica”. in X Congresso Internacional A cerâmica medieval no Mediterrâneo. Vol. 1, Silves: Câmara Municipal de Silves/Campo Arqueológico de Mértola, 2015, pp. 19-50.

GÓMEZ, Susana, et al.   – “El verde y morado en el extremo occidental de al-Andalus (siglos X al XII) / The green and brown in western al-Andalus (10th-12th)”. in XIth Congress AIECM3 on Medieval and Modern Period Mediterranean Ceramics. Proceedings. Vol. 1. Istambul: Koc University Press, 2018, pp. 21-30.

GÓMEZ MARTÍNEZ, Susana, et al.   – “El servicio de mesa para líquidos en el Garb al-Andalus: jarras e jarritas – jarras e bilhas”. in Al-Kitāb - Juan Zozaya Stabel-Hansen, Madrid: Asociación Española de Arqueología Medieval, 2019, pp. 363-371.

GÓMEZ MARTÍNEZ, Susana, et al.  – “El uso del vidriado en el Garb al-Andalus y su lenta difusión”. in Tecnología del vidriado en el Mediterráneo Occidental: tradiciones islámicas y cristianas. Valencia: Museo Nacional de Cerámica y Artes Suntuarias “González Martí” (no prelo).

GONÇALVES, Maria José da Silva – Silves islâmica: a muralha do arrabalde oriental e a dinâmica de ocupação do espaço adjacente. Faro: Universidade do Algarve, 2008. Dissertação de mestrado.

GONZÁLEZ, Cristina – “Quinta da Granja 1 (Maiorga, Alcobaça): novos dados sobre o povoamento da Estremadura na Alta Idade Média”. in ARNAUD, José Morais; MARTINS, Andrea; NEVES, César (coords.) – Arqueologia em Portugal – 150 Anos. Lisboa: Associação dos Arqueólogos Portugueses, 2013, pp. 913-921.

LIBERATO, Marco – A cerâmica pintada a branco na Santarém Medieval, uma abordagem diacrónica: séculos XI a XVI. Lisboa: Universidade de Lisboa, 2012. Dissertação de mestrado.

LIBERATO, Marco – “Cerâmica pintada a branco na Santarém Medieval. Séculos XI-XVI”. in GONÇALVES, Maria José; GÓMEZ MARTÍNEZ, Susana (coords.) – Actas do X Congresso de Cerâmica Medieval no Mediterrâneo. Silves: Câmara Municipal de Silves/Campo Arqueológico de Mértola, 2016, pp. 777-791.

LIBERATO, Marco – “Novos dados sobre a paisagem urbana da Santarém medieval (séculos V-XII): a necrópole visigoda e islâmica de Alporão”. Medievalista online [Em linha] 11 (Janeiro – Junho 2012). (Consultado a 31 Janeiro 2021). Disponível em https://medievalista.iem.fcsh.unl.pt/index.php/medievalista/article/view/293.

LIBERATO, Marco, et al.  – “Em torno das Cerâmicas de Armazenamento: as talhas (al-hawabî) no Gharb al-Andalus”. Almadan 20 (2016), pp. 41-52.

LIBERATO, Marco; SANTOS, Helena – “Aspetos formais, técnicos e culturais do universo cerâmico da Santarém medieval. Uma análise preliminar.” in Arqueologia em Portugal – 150 Anos. Lisboa: Associação dos Arqueólogos Portugueses, 2013, pp. 947-954.

LIBERATO, Marco; SANTOS, Helena – “Circulação de materiais setentrionais na Santarém undecentista”. in GONÇALVES, Maria José; GÓMEZ MARTÍNEZ, Susana (coords.) – Actas do X Congresso de Cerâmica Medieval no Mediterrâneo. Silves: Câmara Municipal de Silves/Campo Arqueológico de Mértola, 2016, pp. 461-465.

LIBERATO, Marco; SANTOS, Helena – “Evolução da estrutura urbana de Santarém entre os séculos VIII e XIII: uma análise macroscópica a partir da localização das necrópoles islâmicas”. in ARNAUD, José Morais; MARTINS, Andrea; NEVES, César (coords.) – Arqueologia em Portugal. 2017 – O estado da questão. Lisboa: Associação dos Arqueólogos Portugueses, 2017, pp. 1393-1623.

LIBERATO, Marco; SANTOS, Helena – “Cerâmicas alto-medievais de Santarém, Portugal: aspectos formais e tecnológicos”. in MARTIN VISO, Inãki, et al.  (coords.) – Cerámicas Altomedievales en Hispania y su entorno (siglos V - VIII d.C). Valladolid: Arbotante Patrimonio e Innovación, 2018, pp. 213-219.

LUNA, Isabel; CARDOSO, Guilherme – “A urbe de Torres Vedras e a sua cerca medieval”. in FERNANDES, Isabel Cristina F. (coord.) – Fortificações e território na Península Ibérica e no Magreb (séculos VI a XVI). Vol. 1. Lisboa: Edições Colibri/Campo Arqueológico de Mértola, 2013, pp. 457-472.

MAN, Adriaan de – Conimbriga. Do Baixo Império à Idade Média. Lisboa: Edições Silabo, 2006.

MARTÍN VISO, Iñaki – “Un mundo en transformación: los espacios rurales en la Hispania post-romana (siglos V – VII)”. in CABALLERO ZOREDA, Luis; MATEOS CRUZ, Pedro; CORDERO RUIZ, Tomás (coords.) – Visigodos e Omeyas. El territorio. Mérida: Consejo Superior de Investigaciones Científicas\Junta de Extremadura-Consorcio de Mérida, 2012, pp. 31-63.

PEREIRA, Tiago André Simões – A ocupação Alto-Medieval do povoado do Porto Torrão (Ferreira do Alentejo). Lisboa: Universidade Nova, 2013. Dissertação de mestrado.

RETUERCE, Manuel; ZOZAYA, Juan – “Variantes y constantes en la cerámica andalusí”. in A Cerâmica Medieval no Mediterrâneo. Lisboa, 1987. Mértola: Campo Arqueológico de Mértola, 1991, pp. 315-322.

RODRIGUES, Ana Maria Seabra – Torres Vedras. A vila e o termo nos finais da Idade Média. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian/Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, 1995.

RODRIGUES, Miguel, REBANDA, Nelson– “Cerâmicas Medievais do Povoado Desertificado de Sta. Cruz da Vilariça”. in Actas das II Jornadas de Cerâmica Medieval e Pós-Medieval. Tondela: Câmara Municipal de Tondela, 1998, pp. 101-126.

SABROSA, Armando; ESPÍRITO SANTO, Paulo – “Almada Medieval/Moderna: Um projecto de investigação”. Al-madan 1 (1992), pp. 5-12.

SALINAS, Elena; GÓMEZ, Susana; GONÇALVES, Maria José; IÑIGUEZ, Carmen – “Os primeiros vidrados no Gharb al-Andalus no século IX-X: análises arqueométricas e interpretação histórica”. in Actas do Colóquio A Península Ibérica entre os séculos V e X: continuidade, transição e mudança. Associação dos Arqueólogos Portugueses, Lisboa 21 e 22 de Março de 2019 (no prelo).

SANTOS, Constança dos, et al.  – “Acerca de las cerámicas de almacenamiento: las tinajas (al-hawābī) en el Garb al-Andalus”. in Actes du Ier Congrès International Thématique de l’AIECM3. Jarres et grands contenants entre Moyen Âge et Époque Moderne. Montpellier: AIECM3, 2016, pp. 185-198.

SANTOS, Helena; LIBERATO, Marco – “A reafirmação da centralidade regional: séculos X–XII”. in Santarém: Carta Arqueológica Municipal. Santarém: Câmara Municipal de Santarém, 2018, pp. 140-147.

SENDAS, José – 2º relatório preliminar. Poço Arqueológico - Escavação e Contenção Periférica. Plano de Acessibilidade Suave e Assistida à Colina do Castelo. Percurso da Sé. Lisboa. Matosinhos: Arqueologia e Património, Ricardo Teixeira & Vítor Fonseca, Arqueologia Lda., 2017. Documento policopiado.

SILVA, Ricardo Costeira da – O Museu Nacional de Machado de Castro – um ensaio de arqueologia urbana em Coimbra: do fórum augustano ao paço episcopal de Afonso de Castelo Branco. Coimbra: Universidade de Coimbra, 2015. Tese de doutoramento.

TENTE, Catarina – Arqueologia Medieval Cristã no Alto Mondego. Ocupação e exploração do território nos séculos V a XI. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa, 2010. Tese de doutoramento.

TENTE, Catarina, et al.  – “Senhora do Barrocal (Sátão) na viragem do milénio: Primeira abordagem”. in TENTE, Catarina (ed.) – Do Império ao Reino. Viseu e o território entre os séculos IV a XII, Viseu: Câmara Municipal de Viseu, 2018, pp. 263-296.

TORRES, Claúdio, et al. – “Técnicas e utensílios de conservação dos alimentos na Mértola islâmica”. Arqueologia Medieval 4 (1996), pp. 203-218.

VIANA, Mário – Espaço e povoamento numa vila portuguesa. (Santarém 1147 – 1350). Casal de Cambra/Lisboa: Caleidoscópio/Centro de História da Universidade de Lisboa, 2007.

VIEGAS, Catarina; ARRUDA, Ana – “Cerâmicas islâmicas da Alcáçova de Santarém”. Revista Portuguesa de Arqueologia 2/2 (1999), pp. 105-186.

ZOZAYA, Juan (ed.) – Alarcos. El fiel de la balanza. Toledo: Servicio de Publicaciones de la Junta de Comunidades de Castilla-La Mancha, 1999.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-07-01
Como Citar
Liberato, M., Inácio, I., Lopes, G., Santos, C. dos, Bugalhão, J., Catarino, H., Cavaco, S., Covaneiro, J., Fernandes, I. C., Gomes, A. S., Gómez, S., & Gonçalves, M. J. (2021). Cerâmica de tradição islâmica em contexto português. Séculos XII-XIV. Medievalista, (30), 275-314. https://doi.org/10.4000/medievalista.4554