Entre o comércio e a governação local. Fernão Gonçalves Façanha: um mercador eborense de finais da Idade Média

  • Joaquim Bastos Serra Universidade de Évora CIDEHUS-UÉ 7000-8091 - ÉVORA, Portugal, avp.joaquimserra.400@gmail.com
Palavras-chave: Mercadores, oligarquia, mobilidade social, guerra civil de 1383-1385, Évora

Resumo

Neste artigo, propomo-nos acompanhar a trajetória social e política do mercador Fernão Gonçalves Façanha que desenvolveu a sua atividade profissional em Évora, uma das mais relevantes cidades do Portugal medieval, na segunda metade de Trezentos. Trata-se de um poderoso homem de negócios que passou por diversos cargos na administração municipal e em outras instituições urbanas, assumindo um forte protagonismo na vida pública da cidade. Apesar da crise e das conturbações que marcaram uma boa parte do tempo em que viveu, Fernão Gonçalves irá conhecer um processo de enriquecimento e de afirmação social, que progressivamente o aproximará do grupo dirigente. O seu percurso reveste-se de bastante interesse historiográfico, constituindo um bom exemplo de alguém que soube aproveitar as oportunidades de um contexto amplamente favorável à mobilidade, para iniciar um processo ascensional assente na riqueza material, mas onde o quadro relacional e as opções políticas se revelam igualmente essenciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-07-01
Como Citar
Serra, J. B. (2014). Entre o comércio e a governação local. Fernão Gonçalves Façanha: um mercador eborense de finais da Idade Média. Medievalista, 1(16). https://doi.org/10.4000/medievalista.1433
Secção
Artigos