As várias faces das monjas cistercienses em Portugal (1211-1385)

  • Luís Miguel Rêpas Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Instituto de Estudos Medievais 1070-312 Lisboa, Portugal, luisrepas@fcsh.unl.pt

Resumo

Referências bibliográficas

 

Fontes

Fontes manuscritas

Lisboa, Torre do Tombo, Ordem de Cister. Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, 1.ª Incorporação, Mç. 7, doc. 4.

Lisboa, Torre do Tombo, Ordem de Cister. Mosteiro de Santa Maria de Lorvão, gav. 1, Mç. 7, n. 26.

 

 

 

Fontes impressas

Bronseval, Claude de – Peregrinatio Hispanica, Voyage de Dom Edme de Saulieu, Abbé de Clairvaux, en Espagne et au Portugal (1531-1533). Introdução, tradução e notas de D. Maur Cocheril. 2 Tomos. Paris: Presses Universitaires de France, 1970.

Lopes, Fernão – Crónica del Rei Dom Joham I... Parte Primeira. Edição fac-similada da de Anselmo Braamcamp Freire de 1915, prefácio de Luís F. Lindley Cintra. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1977.

Santos, Fr. Manuel dos – Monarquia Lusitana. Parte Oitava, Lisboa Occidental, Officina da Musica, 1727 (reed. Lisboa, Imprensa Nacional – Casa da Moeda, Lisboa, 1988).

 

Estudos

Andrade, Maria Filomena – «In Oboedientia, sine Proprio et in Castitate, sub Clausura»: A Ordem de Santa Clara em Portugal (sécs. XIII-XIV). Lisboa: Universidade Nova de Lisboa, 2011. Tese de Doutoramento.

Almeida, Dina Carla Ferreira de Sousa de – O Mosteiro Cisterciense de Arouca. Comunidade e Património (1300-1317). Coimbra: Universidade de Coimbra, 2003. Dissertação de Mestrado, 2 vols.

Azevedo, Rui de – “O mosteiro de Lorvão na reconquista cristã”. Arquivo Histórico de Portugal I (1932), pp. 183-239.

Baião, António – “As freiras de Lorvão e a peste de 1348”. O Instituto 100 (1942), pp. 734-737.

Borges, Nelson Correia – Arte monástica em Lorvão. Sombras e realidade. [s.l.]: Fundação Calouste Gulbenkian / Fundação para a Ciência e a Tecnologia, 2002, 2 vols.

Coelho, Maria Filomena – Expresiones del Poder Feudal: El Císter Femenino en León (Siglos XII y XIII). [León]: Universidad de León, 2006.

Coelho, André Madruga – Poder e estatuto em Portugal no final da Idade Média. Os Lobo entre a cavalaria e a baronia. Évora: Edições do CIDEHUS – Edições Colibri, 2017.

Coelho, Maria Helena da Cruz – O mosteiro de Arouca: do século X ao século XIII. 2.ª ed., Arouca: Câmara Municipal de Arouca / Real Irmandade da Rainha Santa Mafalda, 1988 (1ª ed., Coimbra: Centro de História da Universidade de Coimbra, 1977).

Coelho, Maria Helena da Cruz – Arouca – uma terra, um mosteiro, uma santa. 2.ª ed., Arouca: Real Irmandade da Rainha Santa Mafalda – Museu de Arte Sacra de Arouca, 2005 (1.ª ed., Arou­ca: Câmara Municipal de Arouca, 1989).

Coelho, Maria Helena da Cruz; Gomes, Saul António – Foral de Antuã. Edição Diplomática e Contexto Histórico. Estarreja: Câmara Municipal de Estarreja, 2021.

Coelho, Maria Helena da Cruz; Martins, Rui Cunha – “O Monaquismo Feminino Cis­ter­ciense e a Nobreza Medieval Portuguesa (séculos XIII-XIV)”. Theologica 28/2 (1993), pp. 481-506.

Costa, Mário Júlio Brito de Almeida – Origem da Enfiteuse no Direito Português. Coimbra: Coimbra Editora, 1957.

GOMES, Saul António – “Acerca da origem social das monjas cistercienses de Santa Maria de Cós”. Revista Portuguesa de História 36/1 (2002/2003), pp. 141-160.

Makowski, Elisabeth – Canon Law and Cloistered Women. Periculoso and its commentators, 1298-1545. Washington: The Catholic University of America Press, 1997.

Marques, Maria Alegria Fernandes – “Inocêncio III e a passagem do mosteiro de Lorvão para a Ordem de Cister”. Revista Portuguesa de História 18 (1980), pp. 231-283 (reeditado em Marques, Maria Alegria Fernandes – Estudos sobre a Ordem de Cister em Portugal. Lisboa: Edições Colibri / Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, 1998, pp. 75-125).

MARQUES, Maria Alegria Fernandes – Estudos sobre a Ordem de Cister em Portugal. Lisboa: Edições Colibri / Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, 1998.

Marques, Maria Alegria Fernandes – “As primeiras freiras de Lorvão”. Cistercium 213 (outubro-dezembro 1998), pp. 1083-1129 (reeditado em Marques, Maria Alegria Fernandes – Estudos sobre a Ordem de Cister em Portugal. Lisboa: Edições Colibri / Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, 1998, pp. 127-180).

Marques, Maria Alegria Fernandes – Memória de um Mosteiro: Lorvão, séculos IX-XII. História de uma comunidade masculina. Penacova: Câmara Municipal de Penacova, 2021.

Mattoso, José – “Os nobres nas cidades portuguesas da Idade Média”. In Mattoso, José – Portugal Medieval. Novas interpretações. 2.ª edição, Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1992.

Morujão, Maria do Rosário Barbosa – Um mosteiro cisterciense feminino: Santa Maria de Celas (séculos XIII a XV). Coimbra: Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, 2001.

Pinto, Margarida Isabel da Silva – O mosteiro de Odivelas no século XIV. Património e Gestão. Lisboa: Universidade Nova de Lisboa, 2000. Dissertação de Mestrado.

Power, Eileen – Mujeres Medievales. Madrid: Ediciones Encuentro, 1979.

RÊPAS, Luís Miguel – Quando a nobreza traja de branco. A comunidade cisterciense de Arouca durante o abadessado de D. Luca Rodrigues (1286-1299). Leiria: Edições Magno, 2003.

Rêpas, Luís Miguel – “As abadessas cistercienses na Idade Média: identificação, caracterização e estudo de trajectórias individuais ou familiares”. Lusitania Sacra [Em linha] 17 (2005), pp. 63-91. [Consultado a 3 dezembro 2022]. Disponível em https://revistas.ucp.pt/index.php/lusitaniasacra/article/view/6994/6772.

RÊPAS, Luís Miguel – “Entre o mosteiro e a cidade: o recrutamento social das ‘donas’ de Odivelas”. In Krus, Luís; Oliveira, Luís Filipe; Fontes, João Luís (coord.) – Lisboa Medieval. Os rostos da Cidade. Lisboa: Livros Horizonte, 2007, pp. 232-238.

Rêpas, Luís Miguel – Esposas de Cristo. As Comunidades Cistercienses Femininas na Idade Média. Coimbra: Universidade de Coimbra, 2021. Tese de Doutoramento, 2 vols.

RÊPAS, Luís Miguel – “Os efeitos das guerras e da revolta popular de Évora no quotidiano das monjas de São Bento de Cástris, durante o último quartel do século XIV”. In ANDRADE, Amélia Aguiar; SILVA, Gonçalo Melo da (eds.) – A vida quotidiana da cidade na Europa Medieval. Lisboa: Instituto de Estudos Medievais, 2022, pp. 475-496. [Consultado a 3 dezembro 2022]. Disponível em https://run.unl.pt/handle/10362/145006.

Rêpas, Luís Miguel – “«Ela houve mao preço, e colheu-se, com medo deste Paai Soarez, seu marido, a Arouca, e filhou havito». Mulheres que procuram asilo em mosteiros cistercienses”. In POLÓNIA, Amélia; MANGAS, Francisco (coords.) – Mobilidades: olhares transdisciplinares sobre um conceito global [Em linha]. Porto: CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória, 2021, pp. 427-440. [Consultado a 3 dezembro 2022]. Disponível em https://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/19197.pdf.

RÊPAS, Luís Miguel – “Practise and the Periculoso in the Convent of Odivelas (Lisbon): Royal Statutes and Female Enclaustration in Medieval Portugal (c. 1295-1319)”. In FONTES, João Luís Inglês; OLIVEIRA, Luís Filipe (coord.) – Os Territórios da Lisboa Medieval [Em linha]. Lisboa: Instituto de Estudos Medievais, 2022, pp. 277-309. [Consultado a 3 dezembro 2022]. Disponível em https://run.unl.pt/handle/10362/146072.

RÊPAS, Luís Miguel – “As sorores de Cós e a sua ligação ao Mosteiro de Alcobaça (em tempos medievais)”. In BARREIRA, Catarina Fernandes (coord.) – Manuscritos de Alcobaça. Cultura, identidade e diversidade na unanimidade cisterciense. Lisboa/Alcobaça: DGPC/IEM, Colecção Estudos Monásticos Alcobacenses, 2022, pp. 382-411. [Consultado a 3 dezembro 2022]. Disponível em https://run.unl.pt/handle/10362/145239.

RÊPAS, Luís Miguel; BARREIRA, Catarina Fernandes – “La cultura escrita en los monasterios femeninos del Císter en Portugal (siglos XIII-XV): balance y perspectivas”. Lusitania Sacra [Em linha] 45 (Janeiro/Junho 2022), pp. 33-51. [Consultado a 3 dezembro 2022]. Disponível em https://revistas.ucp.pt/index.php/lusitaniasacra/article/view/11603/11175.

RÊPAS, Luís Miguel; Farelo, Mário – “Two families, a city, a convent: career, heritage and devotions of an elite woman of Évora at the beginning of the fifteenth century”. In Fontes, João Luís; Martins, Diana; Barreira, Catarina Fernandes; Farelo, Mário (eds.) – An Embodied Religion: materialities and devotions in Medieval Europe. Berlin: Peter Lang Verlag, 2023 [no prelo].

RÊPAS, Luís Miguel; FARELO, Mário; BARREIRA, Catarina Fernandes – “Uma Visitação inédita ao Mosteiro de Santa Maria de Cós, de 1492. I: a comunidade monástica no período medieval”. Lusitania Sacra [Em linha] 41 (2020), pp. 181-208. [Consultado a 3 dezembro 2022]. Disponível em https://revistas.ucp.pt/index.php/lusitaniasacra/arti-cle/view/10124/9889.

RÊPAS, Luís Miguel; FARELO, Mário; BARREIRA, Catarina Fernandes – “Uma Visitação Inédita ao Mosteiro de Santa Maria de Cós, de 1492. II: contextualização, estudo e edição da fonte”. Lusitania Sacra [Em linha] 42 (2020), pp. 205-229. [Consultado a 3 dezembro 2022]. Disponível em https://revistas.ucp.pt/index.php/lu-sitaniasacra/article/view/10333/10730.

Santos, Maria Leonor Ferraz de Oliveira Silva – O Domínio de Santa Maria do Lorvão no Século XIV. Gestão feminina de um património fundiário. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2001.

SIMÕES JÚNIOR, Manuel Rodrigues – “Arouca: Subsídios para a sua monografia [CDLXVII-CDLXIX]”. Defesa de Arouca (11-2-2000; 18-2-2000 e 25-2-2000).

Sottomayor-Pizarro, José Augusto de – “Monjas e Filhas d’Algo. A aristocratização do monacato feminino (Sécs. XII-XIV)”. In Marques, Maria Alegria Fernandes; Osswald, Helena (coord.) – Ao encontro de Histórias e Patrimónios Monásticos. Livro do X Encontro Cultural de São Cristóvão de Lafões. São Cristóvão de Lafões: Associação dos Amigos do Mosteiro de São Cristóvão de Lafões, 2015, pp. 27-38.

Sousa, Cristina Maria André de Pina e; Gomes, Saul António – Intimidade e Encanto. O Mosteiro Cisterciense de S.ta Maria de Cós (Alcobaça). Leiria: Edições Magno, 1998.

Varandas, José Manuel Henriques – Monacato feminino e domínio rural. O património do mosteiro de Santa Maria de Almoster no séc. XIV. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 1994. Provas de capacidade científica e aptidão pedagógica.

Vigário, Rafael Marques – O Mosteiro de Arouca no Século XV (1400-1437). A Comunidade e o Património. Coimbra: Universidade de Coimbra, 2007. Dissertação de Mestrado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2023-01-01
Como Citar
Rêpas, L. M. (2023). As várias faces das monjas cistercienses em Portugal (1211-1385). Medievalista, (33), 330-350. https://doi.org/10.4000/medievalista.6332