O sistema das ciências num esquema do século XII no manuscrito 17 de Santa Cruz de Coimbra (Porto, BPM, Geral 21)

  • José Meirinhos Departamento de Filosofia da FLUP. Instituto de Filosofia da UP meirinhos@letras.up.pt

Resumo

O ms 17 de Santa Cruz de Coimbra (agora Porto, BPM, Geral 21) contém o texto integral das Etimologias de Isidoro de Sevilha. N0 verso do fólio inicial deste manuscrito, que estava em branco, alguém traçou um esquema geométrico de divisão da ciência (scientia) ou filosofia, com diversos ramos e sub-ramos. Neste estudo investiga-se a importância da questão da divisão da ciência, procurando na tradição textual e em outros esquemas semelhantes, quais são as opções teóricas e as fontes do esquema no manuscrito de Coimbra. O esquema reflecte o estado da questão no final do século XII, em ruptura com o simples modelo das 7 artes liberais, e denuncia a influência das escolas de Paris do século, em particular dos Vitorinos e da Escola de Conches, com as artes mecanicae de Hugo de s. Victor e várias outras opções que se podem encontrar em Guilherme de Conches. Nas décadas seguintes, com as novas traduções paripatéticas, sobretudo arabo-latinas, os esquemas estariam de novo a ser alterados para acolher as novas ciências, mas algumas delas já estavam contempladas em esquemas como o de Coimbra, que integra a classificação aristotélica da Filosofia, também transmitida por Isidoro de Sevilha.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2009-07-01
Como Citar
Meirinhos, J. (2009). O sistema das ciências num esquema do século XII no manuscrito 17 de Santa Cruz de Coimbra (Porto, BPM, Geral 21). Medievalista, 1(7). Obtido de https://medievalista.iem.fcsh.unl.pt/index.php/medievalista/article/view/344
Secção
Artigos