O testamento de Pedro Domingues, 1335: a fundação da capela em honra de D. Branca, infanta de Portugal, na igreja de Santa Justa em Coimbra

  • Maria Amélia Álvaro de Campos Universidade de Coimbra / Universidade de Évora Centro de História da Sociedade e da Cultura / Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades 3030-482 Coimbra, Portugal, melicampos@gmail.com
Palavras-chave: Sociedade medieval portuguesa, paróquia urbana, testamento medieval, família real portuguesa

Resumo

Em 1335, Pero Domingues, que se identifica como criado e escudeiro da Infanta D. Branca, faz o seu testamento, no qual funda uma capela para celebrar a sua alma, a alma dos seus familiares e a alma da infanta D. Branca de Portugal. Este artigo apresenta um estudo de caso e publica o referido testamento. Mais do que a análise da atitude do Homem medieval perante a morte, pretende-se problematizar a função desta capela na projecção social de uma família da aristocracia urbana. Para tal, problematizaremos especialmente a singularidade da associação do nome da infanta portuguesa à celebração da referida capela.

 

Referências bibliográficas

Fontes

GARRIDO, Araceli Castro – Documentación del Monasterio de las Huelgas de Burgos (1307-1321). Fuentes Medievales castellano-leonesas, n. 34. Burgos: J.M. Garrido Garrido, 1987.

PAIVA, José Pedro (ed.) – Portugaliae Monumenta Misericordiarum. Vol. 2. Lisboa: União das Misericórdias Portuguesas, 2002.

VENTURA, Leontina – Chancelaria de Afonso III. Coimbra: Imprensa da Universidade, 2006.

 

Estudos

ARIÉS, Philippe – O Homem perante a morte. Lisboa: Europa-América, 1988.

BALDACÓ ALCOZ, Julia; GARCÍA DE LA BORBOLLA, Ángeles; PAVÓN BENITO, Julia – "Registrar la muerte (1371-1512). Un análisis de testamentos y mandas pías contenidos en los protocolos notariales navarros". Hispânia, LXV/1, n. 219 (2005), pp. 15-226.

BARATA, Filipe Themudo (ed.) – Elites e redes clientelares na Idade Média: problemas metodológicos: actas do colóquio. Lisboa / Évora: Edições Colibri / Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades da Universidade de Évora, 2001.

BASTOS, Maria do Rosário – "Prescrições sinodais sobre o culto dos mortos nos séculos XII a XVI". in MATTOSO, José (dir.) – O reino dos mortos na Idade Média peninsular. Lisboa: Edições João Sá da Costa, 1996, pp. 109-124.

BEIRANTE, Ângela – "Os diferentes tipos de solidariedade na Cidade Medieval. O exemplo de Évora". in Arqueologia do Estado: Ias Jornadas sobre formas de organização e exercício dos poderes na Europa do Sul, séculos XIII-XVIII: comunicações. Vol.1. Lisboa: História & Crítica, 1988, pp. 48-51.

BERNARDINO, Sandra Virgínia Pereira Gonçalves – Sancius Secundus Rex Portugalensis: a chancelaria de D. Sancho II (1223-1248). Coimbra: Faculdade de Letras, 2003. Masters Dissertation.

BISHKO, Charles Julian – "The Cluniac Priories of Galicia and Portugal: their adquisition and administration". Studia Monastica, VII/2 (1965), pp. 305-356.

BLUTEAU, Raphael – Vocabulario Portuguez & Latino, aulico, anatomico, architectonico... [Online]. Coimbra: Collegio das artes da Companhia de Jesus, 1728, sv. [Last consulted 13 May 2016]. Available at http://purl.pt/13969/3/l-2772-a/l-2772-a_item3/index.html#/824

BRANCO, Maria João – Aveiro Medieval. Aveiro: Câmara Municipal, 1997.

BRANCO, Maria João – "Aveiro". in MARQUES, A.H. de Oliveira, GONÇALVES, Iria and ANDRADE, Amélia Aguiar (coord.) – Atlas de cidades medievais portuguesas: séculos XII-XV. Lisboa: Centro de Estudos Históricos da Universidade Nova e INIC, 1990.

BURGESS, Clive – "Chantries in the Parish, or ‘Through the Looking-Glass’". Journal of the British Archaeological Association, Vol. 164, n. 1 (September 2011), pp. 100-129.

CAMPOS, Maria Amélia Álvaro de – "O rural e o urbano nas freguesias de Coimbra nos séculos XIII e XIV". Revista Portuguesa de História, LXI (2010), pp. 157-174.

– Santa Justa de Coimbra na Idade Média: o espaço urbano, religioso e socio-económico. Coimbra: Faculdade de Letras, 2012. Doctoral dissertation.

– "População e família na freguesia de Santa Justa de Coimbra nos séculos XIII a XV". in Actas do I Congresso Histórico Internacional as Cidades na História: População, 24 a 26 de outubro de 2012, Cidade Medieval. Guimarães: Câmara Municipal, 2012, pp. 227-252.

– "Marcos de referência e topónimos da cidade medieval portuguesa: o exemplo de Coimbra nos séculos XIV e XV". Revista de História da Sociedade e da Cultura, n. 13 (2013), pp. 157-176.

– "Coimbra's parochial network: aspects of its definition in the 12th century". in The Ecclesiastics and the Political State Building of Iberian Monarchies, 13th-15th centuries, e-book. Évora: CIDHEUS, in press.

COELHO, Maria Helena da Cruz – "Um testamento redigido em Coimbra no tempo da Peste Negra". Revista Portuguesa de História, XVIII (1980), pp. 312-331.

– "Coimbra Medieval: Uma cidade em maturação". in ALARCÃO, Adília (coord.) – Inventário do Museu Nacional Machado Castro. Colecção de Ourivesaria Medieval. Séculos XII-XIV. Lisboa: Instituto Português de Museus, 2008, pp. 29-47.

COELHO, Maria Helena da Cruz and MORUJÃO, Maria do Rosário – "Les testaments du clergé de Coimbra: des individus aux réseaux sociaux". in Carreiras eclesiásticas no ocidente cristão (séculos XII-XIV). Lisboa: CEHR/UCP, 2007, pp. 123-140.

COSTA, Adelaide Pereira Millán da – Projecção Espacial de Domínios. Das Relações de Poder Ao Burgo Portuense (1385-1502). Lisboa: Universidade Aberta, 1999. Doctoral Dissertation. [Online]. [Last consulted 17 May 2016]. Available at
http://repositorioaberto.uab.pt/handle/10400.2/2426

– "O espaço dos vivos e o espaço dos mortos nas cidades da Baixa Idade Média". MATTOSO, José (dir.) – O Reino dos Mortos na Idade Média peninsular. Lisboa: João Sá da Costa, 1996, pp. 177-185.

COSTA, Avelino de Jesus da – A Ordem de Cluny em Portugal. Braga: Cenáculo, 1948.

– Normas gerais de transcrição e publicação de documentos e textos medievais e modernos. Coimbra: Universidade, Instituto de Paleografia e Diplomática, 1993.

DOBSON, R. B. – "The foundation of perpetual chantries by the citizens of medieval York". in Church and Society in the Medieval North of England. London: Hambledon Press, 1996, pp. 253-266.

DUARTE, Luís Miguel – "Os melhores da terra (um questionário para o caso português)". in BARATA, Filipe Themudo (ed.) – Elites e redes clientelares na Idade Média: problemas metodológicos: actas do colóquio. Lisboa / Évora: Edições Colibri / Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades da Universidade de Évora, 2001, pp. 104-106.

FERNANDES, Carla Varela; MORUJÃO, Maria do Rosário and SARAIVA, Anísio – "Mémoire au-delà de la mort: les évêques portugais et leurs monuments tumulaires au Moyen Âge". in BOCK, Nicolas, FOLETTI, Ivan and TOMASI, Michele (Ed.) – L’évêque, l’image et la mort: identité et mémoire au Moyen Âge. Roma: Viella, 2014, pp. 141-189.

GOMES, Rita Costa – A corte dos reis de Portugal no final da Idade Média. Lisboa: Difel, 1995.

GOMES, Saul – "As ordens mendicantes na Coimbra medieval: notas e documentos". Lusitania Sacra, 2ª série, n. 10 (1998), pp. 149-215.

– "Coimbra: Aspectos da Sua Paisagem Urbana em Tempos Medievos". Biblos, IV (2006), pp. 125-163.

– In limine conscriptionis: documentos, chancelaria e cultura no Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra: séculos XII a XIV. Viseu: Palimage Editores: CHSC, 2007.

– "Um registo de contabilidade medieval do Mosteiro de S. Jorge de Coimbra (1257-1259)". Medievalista [Online]. N. 10 (Julho-Dezembro 2011). [Last consulted 15 Sep. 2015]. Available at http://medievalista.revues.org/118

GUARDADO, Maria Cristina Gonçalves – A colegiada de S. Bartolomeu de Coimbra em tempos medievais: das origens ao início do séc. XV. Coimbra: Faculdade de Letras, 2000. Masters Dissertation.

LAWRENCE, C. H. – The Friars. The impact of the Mendicant orders on Medieval Society. London/ New York: I. B. Tauris, 2013.

MARTINS, Armando Alberto – O Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra na Idade Média. Lisboa: Centro de História da Universidade, 2003.

MATOS, João da Cunha – A Colegiada de São Cristóvão de Coimbra (sécs. XII e XIII). Tomar, 1998 (Academic study).

MATTOSO, José (dir.) – O Reino dos Mortos na Idade Média peninsular. Lisboa: João Sá da Costa, 1996.

MORUJÃO, Rosário – Um Mosteiro Cisterciense Feminino: Santa Maria de Celas: séculos XIII a XV. Coimbra: Biblioteca Geral da Universidade, 2001.

– A Sé de Coimbra: a instituição e a chancelaria (1080-1318). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010.

OLIVEIRA, António Resende de – "D. Beatriz Afonso". in MARQUES, Maria Alegria, et. al. – As primeiras rainhas: Mafalda de Mouriana, Dulce de Barcelona e Aragão, Urraca de Castela, Mecia Lopes de Haro, Beatriz Afonso. Lisboa: Círculo de Leitores, 2012, pp. 418-440.

PINA, Isabel Castro – "Ritos e imaginário da morte em testamentos dos séculos XIV e XV". in MATTOSO, José (dir.) – O reino dos mortos na Idade Média peninsular. Lisboa: Edições João Sá da Costa, 1996, pp. 125-164.

REGLERO DE LA FUENTE, Carlos Manuel – Cluny en España. Los prioratos de la província y sus redes sociales (1073-ca. 1270). Léon: Caja España de Inversiones y Archivo Histórico Diocesano de Léon, 2008.

RICHE, Denyse – L'ordre de Cluny à la fin du Moyen Âge. "Le vieux pays clunisien". XII-XV siècles. Saint-Étienne: Publications de l’Université de Saint-Étienne, 2000.

RODRIGUES, Ana Maria S. A. – "As relações de clientelismo nos meios urbanos: O exemplo de uma vila portuguesa no século XV". in Espaços, Gente e Sociedade no Oeste. Estudos sobre Torres Vedras medieval. Cascais: Patrimonia, 1996, pp. 277-279.

RODRIGO ESTEVAN, Maria Luz – "Muerte e sociabilidad en Arágon (siglos XIV-XV)". in MARTÍN CEA, Juan Carlos (coord.) – Convivir en la Edad Media. Burgos: Editorial Dossoles, 2010, pp. 285-320.

ROSA, Maria de Lurdes – "As almas Herdeiras...". Fundação de Capelas Fúnebres e a afirmação da alma como sujeito de direito. (Portugal, 1400-1521). Lisboa: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas/ Universidade Nova e Paris: École des Hautes Études en Sciences Sociales, 2005. Doctoral Dissertation.

– "Sociabilidades e espiritualidades na Idade Média: a historiografia portuguesa sobre os comportamentos religiosos dos leigos medievais". Lusitania Sacra, 2ª série, n. 21 (2009), pp. 75-124.

SÁ-NOGUEIRA, Bernardo – "O testamento de Estêvão Anes, chanceler d’el-Rei D. Afonso III". Revista da Faculdade de Letras, 5a, n. 8 (1987), pp. 79-91.

SANTOS, Ana Paula Figueira – A fundação do Mosteiro de Santa Clara de Coimbra: da instituição por D. Mor Dias à intervenção da Rainha Santa Isabel. Coimbra: Faculdade de Letras, 2000. Masters Dissertation.

SARAIVA, Anísio – "The Viseu and Lamego clergy: clerical wills and social ties". in Carreiras eclesiásticas no ocidente cristão (séculos XII-XIV). Lisboa: CEHR/UCP, 2007, pp. 141-152.

SERRA, Joaquim António Felisberto Bastos – Governar a cidade e servir o rei: a oligarquia concelhia de Évora em tempos medievais (1367-1433). Évora: Faculdade de Letras, 2015. Doctoral Dissertation. [Online]. [Last consulted 17.05.2016]. Available at https://dspace.uevora.pt/rdpc/handle/10174/18151

VARANDAS, Carla Patrícia Rana – A colegiada de S. Pedro de Coimbra das origens ao final do século XIV: estudo económico e social. Coimbra: Faculdade de Letras, 1999. Masters Dissertation.

VENTURA, Leontina – A nobreza de corte de Afonso III. Coimbra: Faculdade de Letras, 1992. Doctoral Dissertation.

– "Testamentária Nobiliárquica (século XIII). Morte e sobrevivência da linhagem". Revista de História das Ideias, n. 19 (1997), pp. 137-156.

– D. Afonso III. Rio de Mouros: Círculo de Leitores, 2012.

– "Coimbra Medieval: Uma cidade em formação", in ALARCÃO, Adília (coord.) – Inventário do Museu Nacional Machado Castro. Colecção de Ourivesaria Medieval. Séculos XII-XIV. Lisboa: Instituto Português de Museus, 2008, pp. 15-28.

VIANA, Mário – "Os cavaleiros de Santarém na segunda metade do século XIII". in VILAR, Hermínia Vasconcelos; BARROS, Maria Filomena Lopes de (eds.) – Categorias sociais e mobilidade urbana na Baixa Idade Média.Lisboa: Edições Colibri, 2012, pp. 61-81.

VILAR, Hermínia Vasconcelos – A vivência da morte no Portugal Medieval: A Estremadura portuguesa (1300 a 1500). Redondo: Patrimonia, 1995.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-07-01
Como Citar
Campos, M. A. Álvaro de. (2016). O testamento de Pedro Domingues, 1335: a fundação da capela em honra de D. Branca, infanta de Portugal, na igreja de Santa Justa em Coimbra. Medievalista, 1(20). https://doi.org/10.4000/medievalista.1192
Secção
Artigos