Metamorfoses da cidade medieval. A coexistência entre a comunidade judaica e a catedral de Viseu

  • Anísio Miguel de Sousa Saraiva Centro de História da Sociedade e da Cultura - UC; Centro de Estudos de História Religiosa – UCP anisio@sapo.pt
Palavras-chave: História Urbana, Viseu, Judeus, Catedral, Idade Média.

Resumo

O estatuto de Viseu como centro político, eclesiástico e comercial, actuou como factor de desenvolvimento e fixação de mercadores e judeus. Datam dos finais de Duzentos os primeiros testemunhos da presença hebraica nesta cidade, cuja comuna prosperou sobretudo a partir dos inícios de Quatrocentos, no momento em que Viseu deu início a um intenso processo de reconstrução, após três décadas de conflito e destruição que marcaram todo o reinado fernandino e os primeiros anos da governação de D. João I. Neste artigo abordamos o perfil multi-confessional de Viseu medieval e o contributo judaico na construção do espaço urbano e social da cidade, no período anterior à expulsão dos hebreus, em 1496. Analisamos os contornos deste processo de coexistência e de colaboração, por vezes pouco pacífica, entre os judeus e a catedral. Esta, como detentora de grande parte da propriedade urbana da cidade, funcionou como importante interlocutor no relacionamento dos cristãos com a minoria judia e exerceu uma forte influência nos seus mecanismos de organização espacial. Entre algumas questões analisadas neste âmbito, destacamos a deslocalização do bairro judaico, em grande medida como consequência das relações de poder e da defesa dos interesses de judeus e cristãos no contexto da reorganização da malha urbana quatrocentista de Viseu.


Fontes manuscritas:

Arquivo Distrital de Viseu (ADVIS)

Pergaminhos, m. 00 (n. 4, 44, 58, 161, 185, 328, 337); m. 09 (n. 12, 14); m. 15 (n. 15, 46); m. 16 (n. 39); m. 18 (n. 09, 72, 76, 109); m. 19 (n. 19 verso, 79); m. 20 (n. 91); m. 21 (n. 74); m. 22 (n. 04, 20); m. 23 (n. 49, 67); m. 25 (n. 18b); m. 26 (n. 16); m. 28 (n. 55); m. 30 (n. 10); m. 32 (n. 22, 37); m. 33 (n. 07, 08, 26, 44); m. 34 (n. 06, 44); m. 35 (n. 17, 26, 27, 45b); m. 36 (n. 50); m. 37 (n. 04); m. 38 (n. 36a, 50); m. 39 (n. 06, 12, 15); m. 40 (n. 31); m. 41 (n. 11, 32); m. 42 (n. 03); m. 43 (n. 06, 24, 32, 33, 35, 46); m. 44 (n. 14, 18, 24, 31); m. 46 (n. 14, 35); m. 47 (n. 18, 19, 29, 35); m. 48 (n. 07, 36, 47, 48, 50); m. 49 (n. 11, 12, 15, 17, 63); m. 50 (n. 31, 81).

Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT)

Leitura Nova, Beira, Liv. 2.

Sé de Viseu, Documentos Régios, m. 1 (n. 23).

Fontes impressas:

Chancelarias Portuguesas: D. Afonso IV. Org. A. H. de Oliveira Marques, vol. 2. Lisboa: INIC-CEH/UNL, 1990.

Chancelarias Portuguesas: D. Duarte. Vol. 1, Tomo 1. Org. João José Alves Dias. Lisboa: CEH-UNL, 1998.

Chancelarias Portuguesas: D. João I. Vol. 1, T. 1. Org. João José Alves Dias. Lisboa: CEH-UNL, 2004.

 

Referências bibliográficas:

ANDRADE, Amélia Aguiar – O desaparecimento espacial das judiarias nos núcleos urbanos portugueses de finais da Idade Média: o caso de Lisboa. In Estudos de Homenagem ao Prof. Doutor José Marques. Vol. 1. Porto: Faculdade de Letras, 2006, p. 143-163.

ANTUNES, José – Acerca da liberdade de religião na Idade Média: mouros e judeus perante um problema teológico-canónico. Revista de História das Ideias. 11 (1989) 63-84.

ATLAS de cidades medievais portuguesas: séculos XII-XV. Vol. 1. Lisboa: INIC, 1990.

BALLESTEROS, C. – A judiaria e a sinagoga medieval de Évora. In Os judeus sefarditas entre Portugal, Espanha e Marrocos. Lisboa: Colibri, 2004, p. 191-218.

BARROS, Henrique da Gama – Comunas de Judeus e comunas de mouros em Portugal em tempos passados. Revista Lusitana. 34 (1936) 259-260.

BEIRANTE, Maria Ângela – As mancebias nas cidades medievais portuguesas. In O ar da cidade: ensaios de história medieval e moderna. Lisboa: Ed. Colibri, 2008, p. 7-24.

BEIRANTE, Maria Ângela – Espaços públicos nas cidades portuguesas medievais: Santarém e Évora. In O ar da cidade. Ensaios de História Medieval e Moderna. Lisboa: Ed. Colibri, 2008, p. 182-183.

BEIRANTE, Maria Ângela – Évora na Idade Média. Lisboa: FCG/JNICT, 1995.

CASTILHO, Liliana Andrade – O centro histórico de Viseu. Beira Alta. 63-3/4 (2004) 330-336.

CHORÃO, J. – Islão e cristianismo: entre a tolerância e a guerra santa. In História Religiosa de Portugal. Vol. 1: Formação e Limites da Cristandade. Rio de Mouro: Círculo de Leitores, 2000, p. 102-116.

COELHO, Maria Helena da Cruz – O concelho e senhorio de Viseu em Cortes. In Actas do congresso infante D. Henrique, Viseu e os Descobrimentos. Viseu: Câmara Municipal, 1995, p. 93 e 102.

CORDEIRO, Maria Teresa Gomes – Adonai nos cárceres da Inquisição – os cristãos-novos de Viseu quinhentista. Viseu: Arqueohoje/Projecto Património, 2010.

CORDEIRO, Maria Teresa Gomes – Cristãos-novos, a raia e o êxodo para Castela: a entrada da Inquisição em Viseu (1637). Guarda: Centro de Estudos Ibéricos, 2007.

DIAS, Geraldo Coelho – Presença de judeus no Porto: da Idade Média à Modernidade. In Os reinos ibéricos na Idade Média. Vol. 1. Porto: Livraria Civilização, 2003, p. 424-440.

GASPAR, Jorge – A cidade portuguesa na Idade Média: aspectos da estrutura física e desenvolvimento funcional. In La ciudad hispanica durante los siglos XIII al XVI. Actas do colóquio. Madrid: Universidad Complutense, 1982, p. 134-136.

GOMES, Rita Costa – Um microcosmos citadino: a judiaria medieval da Guarda. In Guarda, história e cultura judaica. Guarda: Museu, 2000.

GOMES, Saul – A comuna judaica de Leiria das origens à expulsão: introdução ao seu estudo histórico e documental. Lisboa: Cátedra de Estudos Sefarditas «Alberto Benveniste», 2010.

GOMES, Saul – A comunidade judaica de Coimbra medieval. Coimbra: INATEL, 2003.

GOMES, Saul – A mouraria de Leiria: problemas sobre a presença moura no centro do país. Estudos Orientais. 2 (1991) 155-177.

GOMES, Saul – Ser-se judeu na Coimbra medieval. In Minorias étnicas e religiosas em Portugal: história e actividade. Actas do Curso de Inverno. Coimbra: [s.n.], 2003, p. 61-82.

GONÇALVES, Iria – Para o estudo da área de influência do Porto nos fins do século XIV. In Um olhar sobre a cidade medieval. Cascais: Patrimonia, 1996, p. 139-152.

IZQUIERDO BENITO, Ricardo – Los conflitos sócio-religiosos en las ciudades medievales castellanas. In La conviencia en las ciudades medievales. Nájera. Encuentros Internacionales del Medievo 2007. Logroño: Instituto de Estudios Riojanos, 2008, p. 84-100.

LÓPEZ BELTRÁN, María Teresa – La prostitución en el reino de Granada a finales de la Edad Media. Málaga: Centro de Ediciones de la Diputación, 2003.

MAGALHÃES, Joaquim Romero de – Os cristãos-novos: da integração à segregação. In História de Portugal. Dir. José Mattoso, vol. 3. Rio de Mouro: Círculo de Leitores, 1993, p. 475-476.

MARQUES, A. H. de Oliveira – A constituição de um condado. In Nova História de Portugal. Dir. Joel Serrão e A. H. de Oliveira Marques. Vol. 3: Portugal em definição de fronteiras (1096-1325). Coord. Maria Helena Coelho e Armando Carvalho Homem. Lisboa: Ed. Presença, 1996, p. 11-23.

MARQUES, A. H. de Oliveira – Introdução à história da cidade medieval portuguesa. In Novos ensaios de história medieval portuguesa. Lisboa: Presença, 1988, p. 13-42.

MARQUES, A. H. de Oliveira – O surto urbano, a moeda e os preços. In Nova História de Portugal. Dir. Joel Serrão e A. H. de Oliveira Marques. Vol. IV: Portugal na Crise dos Séculos XIV e XV. Lisboa: Presença, 1987, p. 187-190.

MARQUES, José – A contenda do cabido com os judeus de Braga, na segunda metade do século XV. Revista Altitude. 4 (1981) 29-32.

MARQUES, José – As judiarias de Braga e de Guimarães no século XV. In Xudeus e Conversos na Historia. Congreso Internacional, Ribadavia, 1991. Vol. 2. Santiago de Compostela: Editorial de la Historia, 1994, p. 351-363.

MATTOSO, José – Dois séculos de vicissitudes políticas. In História de Portugal. Dir. José Mattoso. Vol. 2: A monarquia feudal (1096-1480). Rio de Mouro: Círculo de Leitores, 1992, p. 23-64.

MATTOSO, José – Os concelhos. In História de Portugal. Vol. II: A monarquia feudal (1096-1480). Dir. José Mattoso. Rio de Mouro: Círculo de Leitores, 1992, p. 207-211.

MOLINA MOLINA, Ángel Luis – La prostitución en la Castilla bajomedieval. Clio & Crimen. 5 (2008) 138-150.

MOLINA MOLINA, Ángel Luis – Mujeres públicas, mujeres secretas: la prostitución y su mundo (siglos XIII-XVII). Murcia: Editorial KR, 1998.

MONTEIRO, Isabel – A judiaria de Viseu. Monumentos. 13 (2000) 57-61.

MONTEIRO, Isabel – Os judeus na região de Viseu. Viseu: RTDL, 1997.

MONTEIRO, Isabel – Viseu a identidade histórica: o próximo como o “outro”. VISEU.M. 1 (2008) 142-163.

MORENO, Humberto Baquero – Movimentos sociais antijudaicos em Portugal no século XV. In Marginalidade e conflitos sociais em Portugal nos séculos XIV e XV. Estudos de História. Lisboa: Ed. Presença, 1985, p. 79-88.

MORENO, Humberto Baquero – Reflexos na cidade do Porto da entrada dos conversos em Portugal nos fins do século XV. In Marginalidade e conflitos sociais em Portugal nos séculos XIV e XV. Estudos de História. Lisboa: Ed. Presença, 1985, p. 133-160.

MOUTA, J. Henriques – Panorâmica e dinâmica de Viseu medieval. I: Toponímia. Beira Alta. 27-2 (1968) 281-300.

NERY, António de Seixas – O cabido de Viseu nos inícios da Idade Moderna, senhorio e rendas (1400-1500). Porto: FLUP, 1996 (Tese de Mestrado).

RIBEIRO, Maria do Carmo Franco – Braga entre a época romana e a Idade Moderna: uma metodologia de análise para a leitura da evolução da paisagem urbana. Braga: Universidade do Minho, 2008 (Tese de Doutoramento).

SARAIVA, Anísio Miguel de Sousa – A cidade de Viseu no rasto da guerra: dos conflitos fernandinos à paz definitiva com Castela. In A Guerra e a Sociedade na Idade Média. Actas das VI Jornadas Luso-Espanholas de Estudos Medievais (2008). Vol. 1. [Torres Novas]: SPEM, 2009, p. 323-358.

SARAIVA, Anísio Miguel de Sousa – A inserção urbana das catedrais medievais portuguesas: o caso da catedral de Lamego. In Catedral y ciudad medieval en la Península Ibérica. Eds. Eduardo Carrero y Daniel Rico. Múrcia: Nausícaä, 2004, p. 243-245.

TAVARES, Maria José Ferro – O difícil diálogo entre judaísmo e cristianismo. In História Religiosa de Portugal. Dir. Carlos Moreira Azevedo. Vol. 1: Formação e limites da cristandade. Coord. Ana Maria Jorge e Ana Maria Rodrigues. Rio de Mouro: Círculo de Leitores, 2000, p. 53-54.

TAVARES, Maria José Ferro – Os judeus em Portugal no século XIV. Lisboa: Guimarães Ed., 1979.

TAVARES, Maria José Ferro – Os judeus em Portugal no século XV. 2 vols. Lisboa: UNL-INIC, 1982-1984.

TAVARES, Maria José Ferro – Os judeus na Beira Interior. In Guarda, história e cultura judaica. Guarda: Museu, 2000.

TAVARES, Maria José Ferro – Pobres, minorias e marginais: localização no espaço urbano. In A Cidade. Jornadas inter e pluridisciplinares. Vol. 1. Lisboa: Universidade Aberta, 1993, p. 141-153.

TAVARES, Maria José Ferro – Revoltas contra os judeus no Portugal medieval. Revista de História das Ideias. 6 (1984) 165-167.

TRINDADE, Luísa – Jewish communities in portuguese late medieval cities: space and identity. In Religion, ritual and mythology: aspects of identity formation in Europe. Pisa: University Press, 2006, p. 68-73.

TRINDADE, Luísa – Urbanismo na composição de Portugal. Coimbra: FLUC, 2009 (Tese de Doutoramento).

VENTURA, Leontina – D. Afonso III. Rio de Mouro: Círculo de Leitores, 2006.

VENTURA, Margarida Garcez – Contributo para uma leitura social do espaço na Lisboa quatrocentista: o debate sobre a localização das judiarias. Revista Portuguesa de História. 36-1 (2002/2003) 229-240.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-01-01
Como Citar
de Sousa Saraiva, A. M. (2012). Metamorfoses da cidade medieval. A coexistência entre a comunidade judaica e a catedral de Viseu. Medievalista, 1(11). https://doi.org/10.4000/medievalista.793
Secção
Artigos